30 de mai de 2010

Primeiro passo.


Milhares de palavras engolidas.
Um passo para trás, espere.
Dê tempo ao tempo.
Um passo para frente, prossiga.
Volte, pense, respire, fale.
Nada aconteceu, 
Ou aconteceu.
Mas passou.
O silêncio eu sei que assustou.
Voltemos ao início.
Uma página em branco.

28 de mai de 2010

O que é o amor?




"Não sei responder, não sei explicar..."
"Mas deixemos de cantar tristezas, pois tristeza demais, nubla a vidraça e a vida passa, faz graça e a gente nem se dá conta! Alma triste se distrai facilmente! Foi fato, que Deus, distraído, errou a mão, salgou o mar e ainda descuidado virou a lata de tinta, verde, por sobre o cerrado e deu no que deu, teve que tingir uma a uma as flores da natureza! Pense bem, tristeza demais, é trabalho dobrado para reconstruir e colorir a vida de beleza!"

27 de mai de 2010

Fé cega, faca amolada


"Agora não pergunto mais pra onde vai a estrada
Agora não espero mais aquela madrugada
Vai ser, vai ser, vai ter de ser, vai ser faca amolada
O brilho cego de paixão e fé, faca amolada

Deixar a sua luz brilhar e ser muito tranquilo
Deixar o seu amor crescer e ser muito tranquilo
Brilhar, brilhar, acontecer, brilhar faca amolada
Irmão, irmã, irmã, irmão de fé faca amolada

Plantar o trigo e refazer o pão de cada dia
Beber o vinho e renascer na luz de todo dia
A fé, a fé, paixão e fé, a fé, faca amolada
O chão, o chão, o sal da terra, o chão, faca amolada

Deixar a sua luz brilhar no pão de todo dia
Deixar o seu amor crescer na luz de cada dia
Vai ser, vai ser, vai ter de ser, vai se muito tranquilo"

-Milton Nascimento

Weakness.




"Cause we are always trying to be

Strongest in our weakest points"


25 de mai de 2010

Descrição da noite:

Descrição da noite:

- Tem que ser alguém culto, que tenha alguma inclinação para as artes, tais quais música e poesia. alguém decidido e romantico, do tipo exagerado e paciente. tem que ser bonito, mas isso não é bem com o que tu tá preocupada, precisa sim, ter um papo interessante e ser alguém que possa manter uma conversa bacana e esteja disposto a falar contigo a noite toda quando tu tiver com problemas e precisar de alguém pra escutar. alguém que te respeite, e que te faça sentir única, pois, depois de experiencias má sucedidas, no fundo, tu acha que ainda não conseguiu ser especial pra ninguém, e que talvez nunca ache alguém desse jeito.

[Leu minha mão]

24 de mai de 2010

Dreamer.

What we have here is a dreamer
Someone completely out of reality
That every time you play, think that will fly.


Moinho.



" Ouça-me bem amor
 Preste atenção, o mundo é um moinho
 Vai triturar teus sonhos tão mesquinhos
 Vai reduzir as ilusões à pó. 

 Preste atenção querida
 De cada amor tu herdarás só o cinismo
 Quando notares estás a beira do abismo

 Abismo que cavaste com teus pés. "
-Cartola
                                                                                       





23 de mai de 2010

Na bolha.



Definitivamente, esse mundo não é pra mim.
Boa sorte para todos que se encontram neste mesmo círculo.

Surdo, cego e mudo.


Se o homem fosse surdo, cego e mudo para todas as tolices do mundo
E se as coisas simples fossem tudo que nos fizessem feliz
Se cada momento fosse vivido com toda eternidade de um segundo
E lembrado como um segredo guardado
Debaixo de sete chaves
Quem sabe as coisas poderiam fazer mais sentido
Talvez um dia você pudesse ter vivido realmente tudo que passou.

22 de mai de 2010


Na mala não carrego mais o livro que lhe dei.
Você ficou com ele, e com o carinho da dedicatória singela.
E eu trouxe de volta pra minha terra, o sorriso que você me fez.


Eu olhei para as estrelas, e elas estavam brilhando para mim e ninguém mais.
Naquele momento, me senti especial.
Momentos raros esses.


Love in me.

Mais 24hrs.


Essas últimas semanas aderi ao "viver um dia de cada vez". Não pensar e nem me preocupar tanto com o que pode acontecer ou não amanhã, daqui  uma semana ou daqui um mês e meio. E Isso não me torna uma pessoa irresponsável, inconsequente ou que não tem esperanças... Apenas quero que as coisas corram com mais calma, com menos preocupações e cobranças. Corram de uma forma mais leve.

[E eu oro: Por um dia mais tranquilo. Amém.]

12 de mai de 2010

Postcards.


Há casais contra qualquer ostentação. Não realizam propaganda do seu amor. Não narram vantagens, não se elogiam em público, não descrevem o que ele ou ela preparou de especial na noite anterior, não geram ciúme, muito menos inveja entre os amigos. Não se derramam em abraços de aeroporto em cada esquina.

São os casais ideais, certo? Talvez durem para sempre, o que não traduz perfeição.

Não há como ser feliz sem merchandising do que se está vivendo. Sem morder a língua. Sem fofoca. Sem contar um pouco mais. É pensar e divulgar.

O amor é público, desde quando se estendeu a mão pela primeira vez com muito nervosismo para andar na rua com ela.

Não existe como disfarçar. Sensibilidade controlada é indiferença.

Um dos graves traumas afetivos é a falta de amor pelo amor.

Os pares se amam, mas estão descontentes por amar. Não desejavam estar amando. É um amor contrariado, um amor dissidente. Como uma maldição: Por que foi acontecer comigo logo agora?

É como se a companhia não fosse apropriada. Ou que não devia ter surgido naquele momento, é bem capaz de atrapalhar os negócios ou a vontade de viajar e de ser livre. Ou porque é diferente e não responde automaticamente. Perderemos tempo, perderemos a agilidade que tanto nos caracterizava.

Não se enxergam abençoados, e sim traídos pelo destino. Não tratam de alardear seu relacionamento como um feriado de sol. Por receio ou insegurança, não se orgulham da companhia. Nunca falarão: estou com quem sonhei, é perfeito para mim.

Não identificam que já têm o mais complicado, que o restante é simples: um cartão, um torpedo, uma cartinha, uma lembrança, um prato predileto, um capricho, um colo.

Amam ao mesmo tempo em que odeiam. Amam ser, odeiam estar. Por aquilo que a convivência exige, pelo mal-estar de uma conversa truncada, pelo ciúme passivo e sempre existente, pela necessidade de telefonar e de se apaziguar, pela dependência ruidosa e ávida.

Quem ama alguém, mas odeia o amor não terá paciência. Entrará num clima de cobrança permanente, de suspeita irremediável. Conhece como o par fica irritado e trata de testar os limites. Não agrada para criar contrariedade e arrecadar sinais do fim. Quer se livrar do amor, não do outro, mas o amor está no outro que acaba pagando a conta.

Não consegue se separar, tampouco se entrega verdadeiramente.

Quando está em paz, enlouquece. Quando está estressado, age com distração e depois reclama da cobrança. Ou cobra a cobrança. Ou antecipa a cobrança que não viria. A briga está condicionada a uma postura catastrófica. Mobilizado a provar que não tem mais jeito. Em vez de elogiar, reclama. Em vez de se declarar, ironiza. Em vez de confiar, pragueja.

A mulher pode amá-lo, o homem pode amá-la. O cara pode amá-lo, o cara pode amá-lo de volta. Só que ambos não amam o próprio sentimento. Cada um não se ama por amar. Não basta amá-lo, tem que se amar por amá-lo. Não basta amá-lo, tem que se amar por amá-lo.

Mas a reflexão não termina por aqui. Caso contraiu piedade do que não ama o amor, há ainda um tipo mais terrível: aquele que ama o amor, mas não ama seu parceiro. Ama seu modo de amar e não aceita mais nada. Faz o amor de propaganda, que é o contrário de fazer propaganda do amor. Experimenta um delírio romântico. Tudo o que o outro oferece não é do jeito conhecido, portanto não serve. Alimenta uma insatisfação constante, autoritária, como um diretor que recusa o improviso de seus atores e manda repetir a cena. Não reconhece os gestos mais naturais e singelos. Sufoca o que vive de fato pela pressa de um cartão-postal. Funciona na base do escândalo: da serenata na janela, da Kombi do aniversário, dos presentes imensos e das provas vistosas. Será insaciável, pressionando para receber o que somente ele imaginou (e nunca confessou).

É um desalmado da privacidade, um amante genérico, porque ama demais a si para amar quem quer que seja.
 
( Fabrício Carpinejar) 

10 de mai de 2010

Noite vazia.

Temível serei nas noites vazias e nubladas
Onde toda a obscuridade perpetuará sobre mim
E em meus olhos terei o breu do céu escuro
Iluminados apenas pela lua,
Astro rei das minhas noites sem fim.
Em terra seca, cravarei com o suor de minha pele
Minhas desavenças e delírios
E no ultimo resquício de água
Lavarei minh'alma de todo mal que te fiz
Cada lágrima corrida deixará de ser um sacrilégio
E o esforço feito, deixará sua dor
Mas nesse fim, o meu triste fim
Será em teus braços,
Onde jamais temerei teus abraços,
Onde jamais temerei teus olhos de amor.





.LunaHolanda

7 de mai de 2010

Do you remember?



Você se lembra daquela noite?
A chuva caia, como se quisesse lavar
Um momento passageiro de dor.
E eu me distraia com tuas cordas,
Com você a tocar sua música mais bonita,
Naquela noite sem luar.
Seus olhos vierem me iluminar.
Sua voz veio me embalar.
E eu me distraia com tuas cordas,
Com a magia daquelas horas,
Correndo na beira do mar,
Com a chuva a nos abençoar
Com os seus braços a me abraçar.
Você se lembra daquela noite?

.LunaHolanda


I need you here.

6 de mai de 2010

A Sua.


"Eu só quero que você saiba
Que estou pensando em você
Agora e sempre mais
Eu só quero que você ouça
A canção que eu fiz pra dizer
Que eu te adoro cada vez mais
E que eu te quero sempre em paz

Tô com sintomas de saudade
Tô pensando em você
E como eu te quero tanto bem"

(...)

4 de mai de 2010

Teus olhos.




"Teus olhos abrem pra mim todos os encantos,
teus olhos abrem pra mim.
Teus olhos abrem pra mim todos os encantos bons,
teus olhos abrem pra mim."
(...)


1 de mai de 2010

Minha menina.



E a menina que você viu,
E o seu olhar roubou,
Agora ressurgiu .
Como se o tempo tivesse parado,
Agora ela ressurgiu,
E te impediu de não resistir.
Ah, como ela é linda
E o seu perfume, ninguém tem igual.
E ela é tão linda
O seu cabelo a voar,
Ninguém tem um igual.
E nem o sol ofusca a sua beleza
Ah, e nem o mar atrapalha seu andar
E ela veio,
E te roubou o ar.
E ela veio, com aquele olhar
Te deixou tonto,
Te impediu, você não resistiu.
E ela veio,
Assim, só pra te atordoar,
E te roubou o ar.



.LunaHolanda