18 de out de 2011


"Time to give in to the kindness of strangers"

27 de mai de 2011

Summer of 69

"Oh when I look back now
 That summer seemed to last forever
 And if I had the choice
 Yeah, I'd always wanna be there
 Those were the best days of my life!"

2 de mai de 2011


"A vida é como andar de bicicleta.
Para manter seu equilíbrio você tem que continuar em movimento."
- A. Einstein

9 de abr de 2011

Tempo de amor.



"Ah, bem melhor seria
Poder viver em paz
Sem ter que sofrer
Sem ter que chorar
Sem ter que querer
Sem ter que se dar
Mas tem que sofrer
Mas tem que chorar
Mas tem que querer
Pra poder amar
Ah, mundo enganador
Paz não quer mais dizer amor
Ah, não existe coisa mais triste que ter paz
E se arrepender, e se conformar
E se proteger de um amor a mais
O tempo de amor
É tempo de dor
O tempo de paz
Não faz nem desfaz
Ah, que não seja meu
O mundo onde o amor morreu"


- Lembrei de você, amiga.

7 de abr de 2011

Meu amor é teu.


"Meu amor é teu
Mas dou-te mais uma vez

Meu bem
Saudade é pra quem tem"



E cada vez mais se superando!
Do segundo cd solo do Camelo, linda!

5 de mar de 2011


A vida que brota em leite do seio da mãe que te protege.
A fortaleza de pedra bruta elevada nos montes daquele abraço amigo.
Nuvem amarela engolida de sol que ilumina a rua cor de infância.
Jabuticaba ônix, reluz no olhar suculento de prazer.
...São todas as pequenas coisas que te constroem e você não ver.

Luna Holanda

4 de mar de 2011

Quando fui chuva.


Quando já não tinha espaço, pequena fui
Onde a vida me cabia apertada
Em um canto qualquer,
Acomodei minha dança, os meu traços de chuva
E o que é estar em paz
Pra ser minha e assim ser tua

Quando já não procurava mais
Pude enfim nos olhos teus, vestidos d'água,
Me atirar tranquila daqui
Lavar os degraus, os sonhos, as calçadas

E, assim, no teu corpo eu fui chuva
... jeito bom de se encontrar!
E, assim, no teu gosto eu fui chuva
... jeito bom de se deixar viver!

Nada do que fui me veste agora
Sou toda gota, que escorre livre pelo rosto
E só sossega quando encontra tua boca

E, mesmo que eu te me perca,
Nunca mais serei aquela que se fez seca
Vendo a vida passar pela janela

(Maria Gadú)